PROJETO

Desde 2016, a Redes da Maré, a partir do seu Eixo Direito à Segurança Pública e Acesso à Justiça, vem realizando o projeto "De Olho na Maré" que, de forma contínua, coleta e sistematiza informações sobre situações de violência nas 16 comunidades da Maré, sobretudo em dia de conflitos armados decorrentes da atual política de drogas e Segurança Pública no país. 

 

O trabalho é feito a partir de 5 fontes centrais: [1] pesquisa de campo em dias de confrontos armados; [2] articulação de uma rede de colaboradores - 147 moradores e 21 organizações atuantes nas favelas da Maré, as quais contribuem reportando e validando evidências sobre as violências ocorridas;[3] coleta de dados oficiais junto às secretarias de governo municipal e estadual, além das polícias e institutos de pesquisa, como é o caso do Instituto de Segurança Pública (ISP);[4] levantamento em meios de comunicação de massa e redes sociais a respeito dos eventos que ocorrem na região; e [5] ida da equipe do "De Olho na Maré" ao campo, até no máximo 48 horas após as situações de confronto armado, com vistas a confirmar a veracidade das informações recebidas, antes de incluí-las no banco de dados.

 
As informações sobre confrontos armados e violações de direitos colhidos por tecedores da Redes da Maré nesses últimos quatro anos apontam situações recorrentes de violência, como mostram os materiais abaixo. 
 

 

 

A 4ª edição do Boletim Direito à Segurança Pública na Maré, com dados coletados ao longo de 2019, está sendo lançada no começo de 2020. O material vem sendo editado anualmente, desde 2016, com dados atualizados ano a ano, traçando ainda um comparativo no tempo.


Em 2020, a Redes da Maré inova e lança ainda mais dois instrumentos para aprofundar o olhar e a análise sobre a situação, são eles: Mapa on-line e Tabela de dados. 

 

LANÇAMENTO! 4ª edição | Boletim Direito à Segurança Pública na Maré | Dados de 2019

VEJA O DOCUMENTO COMPLETO

Dado o aumento da violência armada no território de favelas da Maré em 2019, publicou-se ainda uma edição semestral que pode ser lida AQUI.

  

 


Mapa on-line
Pensado para contribuir com pesquisas relacionadas ao tema da segurança pública, este instrumento exibe os dados dos impactos da violência armada na Maré de maneira georreferenciada. VEJA O MAPA AQUI

Tabela de dados
Enquanto o mapa online apresenta os principais dados do monitoramento da violência armada na Maré em 2019 por favela, esta tabela os organiza por operação policial. Os dados integram a 4ª edição do Boletim Direito à Segurança Pública na Maré (2019). VER TABELA

Infográfico
Reúne os dados detalhados que compõem o 4º Boletim Direito à Segurança Pública na Maré (dados 2019) e pode ser baixado AQUI.

 

A proposta é que todos os anos esses dados sejam atualizados numa nova edição. Simultaneamente, também vem sendo realizada pesquisa junto a órgãos públicos e meios de comunicação de massa para compreender o impacto das violências na vida dos moradores da Maré. Veja a seguir as edições anteriores dos Boletins.

 

3ª edição | Boletim Direito à Segurança Pública na Maré | Dados de 2018
A terceira edição da publicação, em 2018, mostra 16 operações policiais na Maré, com 24 mortes em decorrência de intervenção policial e 10 dias de atividades suspensas nos serviços públicos. VER DOCUMENTO 

 

2ª edição| Boletim Direito à Segurança Pública na Maré | Dados de 2017 
O 2º Boletim trouxe dados referentes ao ano de 2017, quando aconteceram 41 operações policiais na Maré, 42 homicídios durante confrontos armados, 35 dias sem aulas e 45 dias sem funcionamento de postos de saúde na Maré. VER DOCUMENTO


1ª edição| Boletim Direito à Segurança Pública na Maré | Dados de 2016
Os dados de 2016 apontaram para 33 operações policiais na Maré, com 17 mortes em decorrência de intervenção policial e 20 dias de atividades suspensas nos serviços públicos. 
VER DOCUMENTO 

Parceiros apoiadores 

Fundação Ford
ActionAid

Parceiros locais

16 Associações de Moradores da Maré

 

PROJETOS RELACIONADOS

Fique por dentro das ações da Redes da Maré! Assine nossa newsletter!