Duas novas clínicas da família na Maré

Ato de Amor pelo Samora
2 de outubro de 2017
Movimentos: Drogas, Juventude e Favela
2 de outubro de 2017

Foto: Elisângela Leite

Clínicas da Família nascem de reivindicação feita pela população da Maré

No início da década de 1990 foram criados seis postos de saúde na Maré, que funcionavam nos CIEPs e eram administrados pelo Movimento Maré Limpa. De lá para cá, a Maré cresceu e os “postinhos” se sobrecarregaram. Apesar de terem status de Centros de Saúde, as instalações não tinham o tamanho das necessidades médicas. O Coletivo Maré que Queremos, que reúne 16 associações de moradores, percebeu o sofrimento da população e entregou um documento à antiga gestão municipal, com reivindicações, entre elas a criação de quatro Clínicas da Família.

A Secretaria Municipal de Saúde já queria devolver os espaços para as escolas. Os profissionais que estavam alocados no CIEP Leonel Brizola foram para o novo prédio do CMS Américo Veloso, na Praia de Ramos. Foi criada a primeira Clínica da Família da Maré, Augusto Boal, onde existia o antigo SESI, que acomodou os pacientes e profissionais do CMS Operário Vicente Mariano. Depois veio a Clínica da Família Abid Jatene, que extinguiu o CMS Ministro Gustavo Capanema, na Vila dos Pinheiros.

Duas novas clínicas

Ao lado do BRT Maré, no Parque União, ainda em outubro deve ser inaugurada a terceira Clínica da Família: “irão ser instalados os equipamentos da saúde bucal, as adequações das instalações de água e ligações de luz”, destaca Luiz Octávio, coordenador de demandas institucionais da Área de Planejamento. A unidade vai receber os profissionais e pacientes do CSM Hélio Smidt e CSM Parque União.  “Para a abertura, aqui no Parque União, vai ter um mutirão da Comlurb e do Parques e Jardins. A CET Rio vai instalar um semáforo no local”, afirmou Hildebrando Gonçalves, o Del, superintendente regional de Ramos.

A quarta Clínica da Família vai funcionar dividindo instalações com o CVT. “Estamos em fase de fechamento de projeto, para adaptar o local para uma Clínica da Família. Com essa quarta clínica, a saúde sai das estruturas dos CIEPs”, revelou Mariana Scardua, coordenadora-geral da AP 3.1. Para essa Clínica serão transferidos pacientes e funcionários do CMS Samora Machel e do CMS Nova Holanda, que funciona no CIEP Elis Regina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *