Xô Dengue – Redes da Maré

Xô Dengue

Educação


Informar e ao mesmo tempo conscientizar os moradores da Maré sobre as doenças causadas pelo mosquito aedes aegypti – dengue, zika vírus e chikungynya – foi o objetivo do projeto Xô Dengue, executado pela Redes da Maré de 2014 a 2017, a partir de uma proposta da Fundação Ireso em parceria com o Instituto de Microbiologia Paulo Goes da UFRJ e apoio do Rotary Club. O projeto se dividiu em diferentes frentes, a começar pela formação de jovens monitores, responsáveis pela divulgação de informação na comunidade. Mais de 50 adolescentes, de 13 a 18 anos, foram capacitados por pesquisadores da UFRJ e pelos tecedores da Redes da Maré. O conhecimento sobre o mosquito e sobre as doenças foi colocado em prática durante visitas regulares às casas dos moradores nas 16 comunidades da Maré. O morador tinha a chance de se informar melhor sobre como evitar o foco do mosquito e também sobre os sintomas da doença. Nestes anos, quase três mil residências foram visitadas. Havia ainda os Balcões de Informação, realizados cerca de quatro vezes ao ano em lugares da Maré com grande concentração de pessoas, como feiras livres e escolas públicas, nos quais o objetivo também era prestar esclarecimentos sobre as doenças. Em 2017, os monitores retornaram a mais de 200 moradias visitadas pelo projeto para entender na prática se as informações tinham de fato contribuído na luta contra as doenças causadas pelo aedes.

Equipe:

Coordenação Geral: Kelly Marques

Técnicos de Campo: Fábio Barglini e Joelma Souza

Professora: Renata Campos (do Instituto de Microbiologia da UFRJ)

Patrocínio:

Fundação Ireso

Rotary Club do Rio de Janeiro

Parceria:

Universidade Federal do Rio de Janeiro