Maré Sem Fronteiras – Redes da Maré

Maré Sem Fronteiras

Desenvolvimento Territorial


Nascido em 2013 com o objetivo de romper demarcações simbólicas e geográficas que fazem parte do cotidiano dos moradores da Maré, o projeto Maré sem Fronteiras incentivou desde seu início a mobilidade da população local entre diferentes comunidades da região, apostando na valorização da memória e da identidade do território. Para isso, são oferecidas para crianças e adolescentes oficinas artísticas regulares de Azulejaria, Desenho, Fotografia, trabalhando narrativas nascidas de reflexões sobre histórias e vivência locais, medos e representações simbólicas da Maré.

Outro ponto importante desde o início foi incentivar o uso de bicicletas na região. Há a Oficina Livre de Bici na Lona Cultural Herbert Vianna, com jovens aprendendo a consertar suas bicicletas, numa proposição muito mais de troca do que de ensino vertical. E as Rodadas de Cicloativismo, que, de tempos em tempos, oferecem uma série de atividades, como passeios de bicicleta (bicicletadas), shows, debates e oficinas, para estimular o uso de bicicleta na Maré, como meio de transporte e para lazer.

Nestes anos, o projeto já atendeu diretamente mais de 500 crianças e adolescentes, entre 7 e 16 anos. Só em 2017 houve um público regular de 150 crianças e adolescentes.

Equipe:

Coordenação Geral: Suélen Brito

Coordenação de bicicletas e rodadas de cicloativismo: Geisa Lino

Educadores: Fagner França, Márcia de Queiroz, Renan Braga e Ernani Alcides

Patrocínio:

Criança Esperança, Rede Globo / Unesco

Parcerias:

Data Labe, Bike Anjo, Bicicleteiros Suburbanos, Cíclicas e Piratas de Bici


Principais realizações

  • 2017

    Cinco bicicletadas, duas Rodadas de Cicloativismo, 1o Encontro Livre de Bici e 2a edição da Mostra Maré sem Fronteiras, oficinas extras de serigrafia e grafite.