Nunca é tarde para viver bem

Um pedacinho do Nordeste
2 de outubro de 2018
Indústria da marquinha
2 de outubro de 2018

Idosos da Maré mantêm rotina de exercícios físicos, interação social e de lazer | Douglas Lopes

Maré de Notícias #93 – 02/10/2018

Idosos mostram que nunca é tarde para a prática de atividades físicas

Hélio Euclides

De acordo o IBGE, o Rio de Janeiro já ocupa o segundo lugar no ranking das cidades com o maior número de idosos do País. Já o Censo Maré, de 2013, apresenta o número de 10.294 pessoas na faixa dos 60 anos. Elas hoje vivem ativamente e necessitam de atrações que envolvam cultura, esporte e lazer. Na Maré, alguns espaços são abertos para atividades nesta faixa etária, como Igrejas, Centro de Artes, Vila Olímpica, Clínicas da Família e Academias da Terceira Idade.

Para muitos idosos não é só o corpo que precisa ser trabalhado, mas também a mente. “Caminho e pratico yoga, assim fiquei sem dor no joelho. Além disso, há o convívio com as amigas”, conta Maria José Ferreira, de 64 anos. Para uns, trabalhar a cabeça é fundamental. “Pratico yoga, dança afro, consciência corporal, dança de mulheres ao vento, hidroginástica e água cross. A psicóloga me recomendou atividades e agora me sinto viva”, admite Rosemere Gomes Viana, de 57 anos.

“Não quero outra vida. Antes tinha crise nervosa, mas as atividades de ginástica aeróbica, alongamento e equilíbrio me ajudaram muito. O convívio com as pessoas nos faz esquecer dos problemas”, argumenta Maria Claurete, de 55 anos. Adriana Kapppaun, instrutora de hidroginástica da Vila Olímpica da Maré trabalha com a terceira idade e vê o diferencial. “Elas vêm participar e trabalham o corpo e a mente, se sentem mais novas. Elas necessitam de bate-papo, uma forma de conhecer quem está do lado, e o mundo precisa disso. O restante do planeta está conectado, mas o mundo deles precisa de carinho”, revela.

Os cuidados necessários

Para a prática das atividades são necessárias indicações médica e acompanhamento profissional. Mas nem todos seguem a receita. “Sempre pratiquei esporte. O meu problema é que não tenho continuidade. Também não tenho orientação, pois sou meu médico”, conta Alex Alves, que se exercita na Academia da Terceira Idade, ao ar livre, na Praça do 18.

Outro cuidado necessário é com a vida sexual. Segundo os últimos dados do Ministério da Saúde, cerca de 4% a 5% da população acima de 65 anos têm o vírus HIV, um aumento de aproximadamente 103% nos últimos 10 anos. Especialistas indicam que é preciso, antes de tudo, a prevenção, que supere o preconceito contra o uso de preservativo.

 

Saiba onde se divertir, se cuidar e viver ainda melhor

Está em casa sem fazer nada? Mude o jogo. O Maré de Notícias dá dicas de onde encontrar lazer, práticas saudáveis e muito mais. Confira!

* Algumas instituições de ensino oferecem o Programa Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati), no qual, além de orientação nutricional e psicológica, os idosos também podem fazer diversas atividades e cursos. Unati Unisuam (Tel.: 3882-9797) e Unati UERJ (Tel.: 2334.0053).

* Os parques são uma ótima opção de lazer ao ar livre. A seguir, alguns deles:

– Parque do Flamengo: aproveite e visite o Museu de Arte Moderna (MAM) e o Museu Carmem Miranda.

– Parque Ari Barroso: funciona todos os dias, das 8h às 17h, e fica próximo ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

– Quinta da Boa Vista: ótimo lugar para piqueniques e comemorações em família (Avenida Pedro II, s/nº, São Cristóvão).

* Feira de São Cristóvão: para matar as saudades da cultura, dos sabores e dos ritmos nordestinos. Tem arrasta-pé dos bons e karaokês para você soltar a voz. Tel.: 2580-5335.

* Praias e ensaios das escolas de samba: aproveite que você mora numa das cidades mais bonitas e alegres do planeta. Curta uma prainha e depois caia no samba – porque ninguém é de ferro.

Loading...
X