ELDM

Audição para ELDM. Foto: Rosilene Miliotti.

A dança, assim como qualquer outra área do conhecimento e do saber,  pode ser uma escolha profissional para jovens da Maré. É nisto que acreditam os profissionais que se dedicam ao projeto da Escola Livre de Dança da Maré. Inaugurada em outubro de 2011, o objetivo da Escola é democratizar o acesso dos moradores à arte e à dança articulando ações de educação e profissionalização, formação de plateias e práticas socioeducativas.

Com patrocínio da Petrobras, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a Escola Livre de Dança da Maré nasceu a partir de um sonho compartilhado entre a Lia Rodrigues Companhia de Danças e da Redes de Desenvolvimento da Maré e hoje atende gratuitamente cerca de 200 pessoas ao ano, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos.

Com sede no Centro de Artes da Maré – que também é sede da Lia Rodrigues Companhia de Danças e desde junho de 2010 faz parte da rede de Pontos de Cultura – a Escola desenvolve atividades diárias, de caráter continuado e gratuitas. Oficinas, aulas teóricas e práticas abertas ao público e passeios culturais são algumas das ações realizadas pela Escola.

Em outra vertente do projeto, complementar a estas atividades, 15 jovens pré-selecionados frequentam atividades voltadas à profissionalização e à pesquisa de material criativo (oficinas práticas e aulas de dança com 4 horas diárias, cinco vezes na semana). As atividades desenvolvidas por estes jovens estarão ligadas  ao projeto artístico da Lia Rodrigues Companhia de Danças. Este grupo recebe uma ajuda de custo para auxiliar na permanência das atividades, oriunda de doação da Fondation Hermès.

Além de ampliar o acesso à dança, a Escola se propõe a auxiliar na capacitação de  jovens moradores locais em funções relacionadas à dança, como operadores de luz, som, cenotécnicos, figurinistas e produtores.

A arte da dança é tratada neste projeto como forma de conhecimento. Assim, sua prática – a construção da técnica no corpo levando em conta seus aspectos motores, cognitivos e expressivos – é acompanhada pela reflexão teórica que permite contextualizar historicamente a produção artística e desenvolver a capacidade de reflexão crítica dos alunos diante da arte e da sociedade. A dança cumpre assim sua função, indo além de uma prática corporal, para inserir-se no conjunto de ferramentas de intervenção ética, criativa e solidária no campo social.

Para ver os horários das oficinas da Escola de Dança acesse: http://redesdamare.org.br/centro-artes-mare/?p=369&preview=true


Acompanhamento Social

O acompanhamento da vida escolar dos integrantes da Escola de Dança da Maré é feito por meio de visitas à escola, comprovação de vínculo escolar, encaminhamento à rede de ensino daqueles que encontram-se fora do processo de escolarização e encaminhamento ao reforço escolar, quando necessário. Ao longo do projeto, a reintegração à Escola e a sua permanência com bom rendimento se tornará exigência obrigatória.

Além disso, a abordagem de questões relativas à cidadania, mobilização e participação comunitária, sexualidade, relações afetivas e familiares, entre outras, são consideradas básicas e de fundamental importância para a existência e desenvolvimento do ser humano sujeito social – construtor ativo de sua sociedade, grupo, comunidade.

Neste sentido trabalhar com um público amplo (crianças, adolescentes e adultos) da Escola Livre de Dança, em uma perspectiva de orientação em direitos sociais e cidadania, é desenvolver um processo de conscientização progressivo e contínuo, visando novas posturas em seus espaços de moradia e sociabilidade que devam servir à realização de ações futuras qualitativas em diversos aspectos e concretização de projetos de futuro.