Somos da Maré e temos direitos!

Para garantir os direitos dos moradores da comunidade à segurança e prevenir contra abusos e ações desrespeitosas por parte das forças policiais, foi lançada, em 2012, a campanha “Somos da Maré e temos direitos”, uma iniciativa da Redes da Maré em parceria com o Observatório de Favelas e a Anistia Internacional.

Cerca de 50 mil folders com orientações  sobre como agir em […]

Relatório da Anistia Internacional cita violência policial na Maré

Relatório anual “O Estado dos Direitos Humanos no mundo”, que foi lançado nesta quarta-feira (25/02), aponta o alto índice de homicídios, violência policial, tortura e falência do sistema prisional como ingredientes da crise.

Ocupação do Complexo da Maré pelo Exército e violência policial contra moradores de favelas estão entre os casos citados no relatório

A garantia da vida na Maré

Nota pública: A Redes da Maré manifesta sua solidariedade aos moradores e suas famílias vitimados pela violência, afirma ainda a importância do esclarecimento das condições em que tais fatos ocorreram.
Não é aceitável que o Estado brasileiro, através de seu aparato de segurança, pratique violência contra os moradores da favela da Maré ou de outras favelas.

SAIBA COMO ESTÃO AS INVESTIGAÇÕES SOBRE A CHACINA DA MARÉ

Divisão de Homicídios vai à Maré prestar contas sobre as investigações das 10 mortes de junho de 2013, que aponta auto de resistência para pelo menos cinco vítimas.

“A investigação em si não quebrou a história das investigações sobre massacres, mas virem aqui prestar contas quebra um paradigma”, diz Julita Lemgruber, ‎do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec).

AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE INVESTIGAÇÕES DE MORTES NA MARÉ

Como estão sendo conduzidas as investigações sobre as mortes ocorridas na Maré em junho de 2013?

Para esclarecer os moradores sobreesta questão será realizada uma audiência pública no dia 04 de dezembro às 10 horas da manhã, no Centro de Artes da Maré.

O debate contará com a presença do delegado que está à frente das investigações, Rivaldo Barbosa.

Instituições questionam “postura bélica” de militares na Maré

Sete meses após a entrada das Forças Armadas, a Maré vive rotina de confrontos violentos entre grupos armados, incluindo os militares.

Com notícias de pelo menos quatro mortos e um ferido desde a última sexta (31), organizações locais pedem cumprimento de compromissos feitos pelas autoridades, com garantia do direito à segurança pública aos moradores da Maré.

Instituições questionam "postura bélica" de militares na Maré

Sete meses após a entrada das Forças Armadas, a Maré vive rotina de confrontos violentos entre grupos armados, incluindo os militares.

Com notícias de pelo menos quatro mortos e um ferido desde a última sexta (31), organizações locais pedem cumprimento de compromissos feitos pelas autoridades, com garantia do direito à segurança pública aos moradores da Maré.

PROJETO “VOZES DE UMA MARÉ CIDADÔ OUVE MORADORES

Ser ouvido e ter sua história reconhecida. É o que propõe o projeto Vozes de uma Maré Cidadã, realizado pelo Núcleo Interdisciplinar de Ações para Cidadania (NIAC-UFRJ), ao conjunto de comunidades da Maré.

Os atendimentos acontecem nas associações de moradores – terça (15) é dia de atendimento em Ramos, Roquete Pinto e Marcílio Dias.